Início > Artigos > Médicos precisam traçar metas para se manterem atualizados, diz pesquisa

Médicos precisam traçar metas para se manterem atualizados, diz pesquisa


Esta é a conclusão de um estudo publicado na revista científica Academic Pediatrics

Atualização dos médicos

Os médicos estariam melhor preparados para o ritmo acelerado das descobertas científicas – e mais sintonizados com os últimos avanços nos cuidados dos pacientes – se usassem uma ferramenta de aprimoramento profissional já largamente utilizada em outras profissões: um plano de carreira para se manter atualizado com as últimas novidades em sua área.

Esta é a conclusão de um estudo publicado na revista científica Academic Pediatrics, que analisa se os médicos residentes em pediatria sabem como desenvolver planos de profissionalização para se manter a par das últimas novidades na prática médica.

“A medicina não é uma profissão estática”, afirma Su-Ting Li, professora do Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, em Davis. “É uma profissão onde as coisas mudam o tempo todo. Se você não se mantiver atualizado, não estará oferecendo o melhor atendimento para seus pacientes.”

Residência médica

O estudo envolveu 46 – ou 23 por cento – de todos os programas de residência em pediatria nos Estados Unidos e cerca de 1.000 dos 1.700 residentes de pediatria em todo o país foram entrevistados.

Residentes são médicos que já terminaram o curso de medicina e estão concluindo seu treinamento sob a orientação de médicos experientes.

Há um consenso generalizado de que não apenas os residentes, mas todos os médicos, devem participar de atividades de aprendizagem ao longo da sua vida profissional.

Várias instituições e hospitais exigem que esse aprendizado continuado seja documenta por meio de “planos individualizados de aprendizagem.”.

Aprendizagem continuada

Para o estudo, os residentes responderam questões sobre sua capacidade de avaliar continuamente o seu nível de habilidades e seu uso da aprendizagem continuada.

Noventa por cento dos entrevistados afirmaram conhecer seus pontos fortes e 92 por cento conheciam seus pontos fracos. Mas apenas 26 por cento disseram ter monitorado seu próprio desenvolvimento para atingir seus objetivos de aprendizagem.

E a pesquisa descobriu que o acompanhamento do processo de aprendizagem continuada é justamente o elemento mais importante para manter os médicos atualizados com as últimas descobertas científicas e com as últimas técnicas disponíveis em sua área.

A descoberta sugere que, entre as muitas formas que programas de treinamento podem ser utilizados para auxiliar na auto-aprendizagem, “a criação de sistemas que tornam mais fácil para os residentes acompanhar o seu progresso rumo aos seus objetivos seria provavelmente o mais eficaz e traria o maior retorno sobre o investimento,” dizem os pesquisadores.

“Os residentes estavam confiantes em sua capacidade de identificar seus pontos fortes e áreas de melhoria. Mas eles são menos confiantes em sua habilidade para escrever metas para melhorar seu desempenho e desenvolver planos e segui-los. Isto nos diz que isso é algo que os professores podem fazer para ajudar nossos residentes a tornarem-se melhores médicos,” disse Li.

Base de conhecimento obsoleta

Li afirma ainda que os resultados do estudo são importantes e têm implicações para todos os médicos, e não apenas para os residentes em pediatria.

Pesquisas mostram que, uma vez que os médicos concluem suas residências, se eles não se mantêm atualizados com os avanços na medicina, eles rapidamente passam a ter “uma base de conhecimento que é inferior em termos de regimes atualizados de tratamento para as doenças que os médicos formados mais recentemente.”

“Existe toda essa maravilhosa nova tecnologia e há todos esses trabalhos de pesquisa que estão sendo publicados o tempo todo, e você adoraria ser capaz de ler todos eles. Mas há uma proliferação tão grande de avanços biomédicos que você tem que descobrir como priorizar,” diz Li. “Então você precisa descobrir como incorporar a informação em sua prática médica diária.”

Para a pesquisadora, a melhor forma de fazer isto é escrever planos concretos de acompanhamento da literatura e de aprendizado de novas técnicas. E seguir esses planos.

Autor: Imprensa

Fonte: Diário da Saúde

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: